- 87652 Visitas
ANFAPE
       
Home
---------------------------------------
Andamento da causa
---------------------------------------
Sala de Imprensa
---------------------------------------
Noticias
---------------------------------------
Recebe nossa Newsletter
  Nome:
 
  E-mail:
 
 
Associação Nacional dos Fabricantes de Autopeças tem como a missão incentivar o debate sobre a atuação das montadoras frente ao mercado de reposição gerando conhecimento e envolvimento de todos do segmento para a criação de propostas referencial nacional e internacional, tanto para os fabricantes como os distribuidores do mercado de reposição.
 
VOLKS E FORD AFIRMAM NA CPI QUE NÃO HÁ DESABASTECIMENTO DE PEÇAS NO PAÍS

        

         Na última sessão da CPI (ocorrida na terça-feira, 18.06), que investiga a eventual cartelização no setor de autopeças, a Volkswagen e a Ford finalmente estiveram presentes.

         Ao contrário da GM, que é a favor do livre mercado de peças de reposição no país, a Volks e a Ford demonstraram ser contra à existência de peças similares, mesmo que o consumidor seja informado de se tratar de uma peça similar e não original.

Volks e Ford também negaram qualquer relação entre a falta de peças de seus veículos e as ações e notificações ingressadas por elas contra fabricantes independentes; aliás, ao contrário do que a mídia há tempos vem revelando, Ford e Volks sequer admitem existir falta de peça no mercado.

A afirmação é totalmente contraditória ao que acontece na realidade, pois o que se observa constantemente é o aumento de consumidores insatisfeitos, que aguardam o carro parado na oficina ou concessionária há mais de um mês justamente por conta de um desses itens.

Quando questionados sobre os motivos que os levam a requisitar o impedimento da atuação das empresas independentes, isto é, do livre comércio no país, os representantes das montadoras argumentam o direito ao design de cada uma das peças. A GM, contudo, sequer registra isoladamente cada uma destas peças, afirmando estar mais preocupada com a qualidade dos componentes originais e na competência de sua rede autorizada.

Daí a pergunta: qual a razão pela qual uma empresa multinacional, gigante mundial como a GM, não utiliza o registro de design como argumento, deixando o consumidor livre para escolher, e outras empresas, como Ford, Fiat e Volks, precisarem deste argumento – o que, em última análise, impede o consumidor de comprar a peça similar?

        

Presidindo a CPI está o deputado Fernando Capez, que destaca a integridade das fabricantes independentes. “Queremos combater a cartelização. As fabricantes de autopeças que movimentam um mercado de R$ 51 bilhões, recolhem impostos, têm seus funcionários, são empresas lícitas e corretas, também tem o direito de vender peças para os carros”, ressalta Capez.

         Sobre a Anfape – www.anfape.org.br

A Anfape – Associação Nacional dos Fabricantes de Autopeças surgiu com o intuito de representar e fortalecer o setor de reposição independente de autopeças no Brasil. Desde a sua constituição, em 2007. A entidade tem buscado reverter às ações de algumas grandes montadoras de automóveis que se valem do expediente de registrar os componentes visuais de seus veículos (capôs, para-lamas, para-choques, faróis, retrovisores etc.) como desenhos industriais com o propósito de inibir a atuação dos independentes no segmento de reposição, o que se dá por meio da proibição da produção e da comercialização das peças.

No início de 2007, a Anfape formulou uma representação junto ao Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência – CADE denunciando a conduta das montadoras FIAT, FORD e Volkswagen. Tal iniciativa teve como objetivo assegurar às empresas do mercado independente de autopeças o direito de produzirem e comercializarem itens visuais dos veículos. A Associação considera que as montadoras utilizam seus registros de desenhos industriais de peças automotivas de forma abusiva, o que configura conduta contrária à ordem econômica brasileira.
<< Voltar
  ©2009 - Anfape